Carregando
Fim dos “dias difíceis”

Fim dos “dias difíceis”

Encerrou, na segunda-feira (10/12), o curso “Enfrentando os dias difíceis”, com muitas descobertas. A principal delas é que o processo de enfrentamento dos problemas, embora exigente, é bastante simples.

“[...] quando um fato não corresponde ao nosso desejo, dizemos que temos um problema. Conceituamos problema como uma discrepân­cia entre a realidade por nós percebida e nosso desejo. Os problemas são sempre autorreferidos, somos nós que os definimos. A boa notícia é que, se somos nós que os definimos, também somos nós que temos a potência para acolhê-los e, eventualmente, resolvê-los” (A felicidade possível, p. 108).

O primeiro passo é identificar o que nos está incomodando e avaliar se a solução depende de nós, ou se o problema se relaciona com algo ou alguém fora de nós. Caso escolha a segunda opção, tente assumir “a voz ativa” dessa situação. Exemplo: “todos os meus amigos me decepcionam”. Dito assim, a solução não depende de nós. No entanto, seu colocarmos o problema da seguinte maneira “eu me sinto decepcionada com meus amigos”, muda completamente o direcionamento da solução. Se sou eu quem se sente decepcionada, então, o que posso fazer para que isso não aconteça mais? A partir da investigação que segue, com a pergunta corrente “é bom pra mim?”, podemos encontrar escolhas produtoras de saúde. São as ações curativas.

A percepção de saúde mais importante, sempre, é o acolhimento. Nesse caso exemplificado, seria acolher que as pessoas não são como imaginamos ou desejamos que sejam. Elas são quem são, oferecem o que têm ou o que podem nos oferecer. O passo seguinte seria, então, desconstruir a idealização.

De acordo com Denise Aerts e Christiane Ganzo, “a tecnologia de gestão emocional (TGE) auxilia na definição e no enfrentamento de nossos problemas e, independente do resultado alcançado, sairemos de cada episódio mais habilitados a produzir ações saudáveis e, portanto, curativas”.  As situações que causam desconforto continuarão acontecendo em nossas vidas, no entanto, ao agirmos para a solução, independentemente do resultado, celebraremos felizes quem estamos sendo a cada momento.

Para alimentar a inconsciência com “boa comidinha”, observe o esquema a seguir.

[gallery columns="2" orderby="title"]

Informações

Data do Evento 11/12/2012 - 11/12/2012
Duração h
Horário 19:00 - 22:00
Contato contato@bororo25.com.br
Telefones (51) 3346-6171 ou (51) 99692-8185

Inscrição

Este evento já foi encerrado